O Hino

Tão saudosos e intensos os tempos vividos em Ouro Preto e na república Ninho do Amor que muitos anos depois de formados ainda sonhamos como se estivéssemos vivendo aqueles momentos.

Estes sentimentos são bem retratados pelo hino da eterna República Ninho do Amor, composto pelo Ex-Aluno José William Campomizzi (Graia).
 
Melodia de: "A Praça"
 
Texto:

Hoje eu acordei com saudades lá da Ninho,
Lembrei daquele quadro que um dia eu lhe ofertei,
Sentei naquele banco de buteco só porque,
Foi lá que pra República eu entrei.

Aqueles passarinhos todos bem me receberam,
E logo perceberam que eu era um tigrão.

Ficaram tão contentes e até reconheceram,
Que um dia eu virei Doutor Malão.

A mesma casa, o mesmo quarto,
A mesma mesa que um dia eu ferrei.
Tudo é igual, mas estou triste,
Ainda não sei porque um dia eu formei.

Ainda não sei porque um dia eu formei.